Microexplosões: riscos para aviação e agronegócio

 
seta

Garanta sua vaga no nosso evento online gratuito:


Nome do produtor*

Email*

 

Microexplosão – o que é este fenômeno extremamente perigoso para a aviação e também para o agronegócio?

Aqui é o meteorologista Matheus Manente e eu vou discutir este assunto com você.

A Clima Ao Vivo é uma empresa com quem temos parceria, e sua proposta é ter câmeras na maior parte das cidades brasileiras, permitindo que qualquer pessoa possa ver como está o céu em tempo real.

Isto é legal porque gera possibilidades valiosas para a meteorologia. Alguns dias atrás, por exemplo, as câmeras captaram imagens de tempestades muito intensas que atingiram região próxima de Oliveira, Carmo da Mata e São Francisco de Paula, em Minas Gerais. Em particular, as imagens de São Francisco de Paula mostram claramente um fenômeno meteorológico conhecido como downburst:

Downburst, por definição, trata-se de uma área com ventos muito fortes, que podem chegar a velocidades de 270 km/h. Se atingem uma distância total inferior a 4 km são chamados de microexplosões, e se atingem distâncias superiores a 4 km são chamadas de macroexplosões.

Esses Downbursts são fenômenos que só foram descobertos na década de 1970, pelo Dr. Ted Fujita, e são formados quando as correntes descendentes de ar em uma tempestade são intensificadas e se tornam muito fortes, seja por uma carga de precipitação, seja por conta de resfriamento por evaporação.

Na prática, isso significa que ventos destrutivos se formam e representam grandes riscos para aviões, que podem ser sacodidos e danificados de maneira grave, e também para lavouras, onde pode haver tombamento de grandes áreas plantadas.

Pode-se pensar que microexplosões possuem três estágios, como ilustra a figura abaixo – o contato, quando a corrente de ar toca o chão; o outburst, quando o vento se espalha violentamente, e a almofada, quando a piscina de ar frio forma uma camada que impede que o ar continue atingindo a superfície e a destruição cessa.

Microexplosão fases

Por isso, às vezes, a destruição faz com que microexplosões sejam confundidas com tornados. Ainda assim, a estrutura de ambos os fenômenos é essencialmente diferente. Em um tornado, há um intenso vórtice vertical, enquanto em microexplosões o vórtice é horizontal. Confira a imagem a seguir:

Diferença entre tornado e microexplosão

Por serem fenômenos muito pequenos e localizados, eles ainda são objeto de muito estudo da meteorologia e sua detecção e previsão é muito difícil – Mas microexplosões ocorrem 10 vezes mais do que tornados, e toda tempestade tem potencial de causar uma microexplosão.

Sabendo tudo isso, agora é muito mais fácil enxergar a microexplosão que a câmera registrou, não é mesmo?

É sempre importante ficar atento às previsões de tempestades e às tendências climáticas na sua região para tomar as melhores decisões com relação à esta safra.

Por isso, a Oráculo está organizando um evento para agricultores, totalmente gratuito e online em Setembro, para ensinar a você quais são as tendências climáticas para este ano e como utilizar a meteorologia para evitar perdas de até 15 mil reais em uma única tarde.

Acredite em mim, você precisa dessas informações se não quiser deixar sua fazenda nas mãos do El Niño. Para receber este material gratuitamente, você só precisa deixar seu nome e e-mail no formulário abaixo.

Espero que vocês tenham uma boa semana e uma ótima safra. Até logo!

NÃO DEIXE SUA SAFRA NAS MÃOS DO EL NIÑO!

 
seta

Garanta sua vaga no nosso evento online gratuitamente


Nome do produtor*

Email*